sexta-feira, 12 de março de 2010

Até já!

Queria ter boas notícias para ti, queria dar-te essa alegria de que venci a vida, que o passado não me engoliu, não comeu a minha alegria, a minha esperança desculpa grande Amigo, mas isto não correu bem, Sabes crescer à tua sombra, é demais para qualquer menina, mesmo de olhos verdes…

Comecei como bem sabes da pior maneira, libertei-me dessa escolha contra ti, mas ficou a menina baralhada e embaralhada de modelos demasiado fantasiosos por um lado e por outro demasiado rígidos!

Ainda bem que a tua inteligência me deixou a certeza de boa filha e de boa mãe, sem isso, reconheço que já estávamos os dois à sombra na conversa sem tempo, e de tempo adiado desde quase sempre, sim Amigo já jogo melhor o teu jogo pesado das palavras, só que menos elaborado do que o teu! Achas que eu conseguia chegar ao teu nível? Jamais!

Sei que está na altura de te deixar partir de mim, mas como não sou capaz de ultrapassar esse momento vivido antes do tempo justo! Não há raciocínio que me valha, força que faça aceitar a tua partida! Eras como que invencível! Como sinto a tua falta em mim e na minha vida!

Eras um porto seguro, que eu podia sempre atracar, apesar da tua exigência em demasia para o meu amor por ti! Como foi possível tanta dor e tanta doença…

Tantas vezes acordo de noite a julgar ouvir-te tossir, como essa tosse me inquieta e perturba, queria tanto ter-te ajudado! Prontos! Vês???

Não consigo reter as lágrimas malditas …Essas que me proibiste de verter aquando a tua partida!

Vá não me censures…Sou assim mesmo…

Não quero ser melhor do que fostes e és para mim, acho que nunca chegaste a entender, só queria a tua atenção, e a certeza que gostavas de mim, naquilo que fui e não naquilo que tão elaboradamente querias que eu fosse.

Fui…Sim! Agora nem sei bem o que sou, nessa amálgama do que sobrou, desses anos sofridos entre desafios maiores do que eu, e desgostos de tantas partidas. Sendo que de facto a tua foi demais para mim, vergo-me perante mim, reconheço que não consigo virar essa esquina…Vou tentando…Mas se eu fizesse tudo direito, onde guardavas as tuas criticas?

Sorri, sempre amei esse sorriso malandro…

Entre muitos encontros e desencontros, sei que continuo a fazer-te sorrir mesmo que não seja pelo melhor.

Até já!

Maria

Sem comentários:

Enviar um comentário